(41) 3388.7800 - (43) 3306.7700
LinkedIn Facebook Twitter YouTube
 

> Semana de Imersão no MIT é um bom início para o Programa de Inovação

Presidentes das cooperativas participam de imersão em um dos ecossistemas mais inovadores do mundo
Semana de Imersão no MIT é um bom início para o Programa de Inovação

As empresas atuais precisam estar atentas às inovações que estão acontecendo no mercado, ao que há de novo, para se manterem competitivas e não serem ultrapassadas pelas mais antenadas. A inovação é um conceito que deve estar vigente em qualquer negócio, independentemente do ramo de atuação. Nas cooperativas paranaenses ele já se faz presente e com o Programa de Inovação, do ISAE, ele se fortalecerá.

Os participantes do Programa terão a oportunidade de ter uma formação pensada na inovação com foco nas pessoas e no mercado, com o objetivo de disseminar a cultura da mudança e o aprimoramento das ações já existentes, contribuindo para o desenvolvimento dos processos de trabalho e no resultado apresentado.

“As tecnologias de inovação estão mudando o mundo e todos devemos estar preparados para o que está por vir. Nesse pensamento foi criado, pelo ISAE, Arbache Innovations e com o apoio da Ocepar-PR, o Programa de Inovação para o Cooperativismo Paranaense, no intuito de preparar esses profissionais para essa nova realidade”, explica um dos pensadores da estrutura, Fernando Arbache.

Para fortalecer a criação do Programa, o ISAE Escola de Negócios convidou presidentes, diretores e superintendentes das cooperativas para terem uma semana de imersão em inovação em um dos lugares que mais inovam no mundo: o MIT – Massachusetts Institute of Technology, em Cambridge, Estados Unidos.

Essa ação foi denominada Leading Innovative Teams e aconteceu entre os dias 13 a 17 de agosto. Os participantes puderam desenvolver competências para criação de metodologias que selecionam e organizam diferentes tipos de equipes para a promoção prática da inovação. Com os aprendizados dessa semana, eles contribuirão com o fomento da cultura, promoção de discussões criativas e o início da implementação das ações que desenvolverão os métodos de trabalho.

“Foi muito importante estarmos próximos aos presidentes e entender, junto com eles, como a inovação pode acrescentar no dia a dia das cooperativas, mantendo assim, diretrizes estratégicas para a conquista de metas e melhores resultados. Percebemos o entusiasmo dos participantes e que novas ideias surgiram para potencializar os desempenhos nas cooperativas. Com certeza terão desdobramentos e vamos continuar acompanhando”, informou Danielle Hernandes, coordenadora de soluções corporativas do ISAE.

A coordenadora também ressaltou a metodologia ativa de ensino utilizada no MIT, com estudos de caso, dinâmicas, simulações, o que resultou em uma interação do grupo como um todo. “O professor David Nino teve muita sensibilidade para passar seus ensinamentos, utilizou muito dos argumentos dos participantes para fortalecer os conceitos, dar exemplos práticos e se aproximar da realidade de todos”, comentou.

“Também o que foi de grande valia para o aprendizado, foram as visitas técnicas à Airfox, Cignfie e Media Lab do MIT, esta realmente me encantou, pois coisas que eu nem imaginava que existiam estão bem evoluídas, como reconhecimento facial de satisfação de colaboradores até mesmo próteses na área de healthcare”, complementou.

Thiago Diogo, idealizador do Programa de Inovação do ISAE, acompanhou a turma na viagem e evidenciou alguns conceitos interessantes que podem ser bem aproveitados nas cooperativas. “Destaco conceitos de design thinking, fail fast e principalmente da inter multiculturalidade nas equipes de trabalho, pois a contribuição de diversas visões é de grande valia nos processos de inovação. No MIT percebemos que eles já trabalham assim, as equipes são compostas por japoneses, ingleses, indianos, entre outras etnias que se beneficiam e impulsionam as competências. Lembrando que a gestão dessas equipes deve ser feita por uma liderança bem consciente das dificuldades que possam surgir, aproveitando a melhor habilidade de cada pessoa em um único propósito. É preciso engajar todos, reconhecer seus valores, comemorar pequenas vitórias e fortalecer a relação de confiança entre os componentes de cada equipe”, explicou.

A inovação resulta da combinação de novos conhecimentos com os já existentes, tecnologias, ferramentas, investimentos para atender a demanda do mercado. É necessário discutir e analisar cenários presentes e futuros, aliando novas concepções e buscando sempre a atualização e a cultura inovadora. “É preciso ter coragem para correr riscos, se recuperar rápido dos fracassos e ter dentro da equipe pessoas inteligentes com diferentes visões que estejam unidas em um objetivo”, finalizou Thiago.

Voltar